terça-feira, 24 de dezembro de 2013

O Natal de uma estranha turma...

A chamada de imenso valor...

A Erica estava contando para o pessoal daquele casebre sobre uma data muito especial que existe em seu mundo. Um dia no qual as pessoas corriam para dar presentes aquelas que gostavam, para se vestir de vermelho e comer muitas coisas gostosas. 

Inclusive, a Erica aproveitou para contar que havia ganhado de presente um livro muito bacana em  tal oportunidade no passado. E que foi tal livro que fez ela gostar cada vez mais de ler e de interagir com todos à sua volta.

A moça contou, ainda, que a comida era farta e que todo mundo na casa dela comia até não querer mais. De frutas à assados, passando pelos panetones, chocotones e doces. Na hora de distribuir os presentes havia muita correria, risada e descontração.

- Aaaaaaaahhhh...  Parece com uma data que comemoramos aqui, Erica! - questionou com felicidade nos olhos a Bynha.
- Que data seria esta, Bynha? - a Erica perguntou de maneira eufórica
- Ora... Meu aniversário!
- O quê?
- No meu aniversário todo mundo come muito! Ganho muitos presentes! Falamos muitas besteiras! Azalma nos perseguem e... [ouch!]

A Bynha foi interrompida por um leve tapa na sua cabeça, com a parte serrada da mão.

- Sem essa, Bynha... - disse a Lady A
- Doeu... - reclamou a Bynha
- Mas era para doer! Você interrompeu a Erica em um momento importante...
- S-siup...

A Erica olhou atônita para a cena protagonizada por suas amigas, mas dado o período no qual ela ali estava então a moça já tinha se acostumado muito bem com tudo aquilo. Este não foi um ato que impedisse a Erica de falar um pouco mais sobre as festividades de seu mundo.

- Gente, neste dia em meu mundo todos dizem propagar a paz, a alegria e o amor.
- Como seria isto, Erica? - questionou à ela o Pigmiorim
- Assim... As pessoas falam e fazem coisas legais. O amor brilha no olhar. As feições boas, os corações puros e abençoados... Ai, ai...
- Qual é o nome deste dia, Erica? - perguntou-lhe a Lady A
- É Natal, gente.

Quando o nome Natal foi dito, a Bynha se pôs a chorar demais. Ninguém havia esperado por uma reação assim da pequena sábia daquele lugar.

- Buuuááááááá!!!
- O que foi, Bynha? - perguntou preocupada a Erica
- É que... [snif] É que... [ sinf]
- Diga, criatura! - pressionou a Lady A
- Sabe... É que... [snif]
- Fale logo, Bynha! - se enervou o Pigmorim

E a Bynha respondeu...

- É que o nome Natal me lembra Natalino, Natalino me lembra Nateron, Nateron me lembra Nateri, Nateri me lembra Ninini... 
- Eeeeee? - perguntaram ao mesmo tempo Erica, Pigmorim e Lady A
- Ninini me lembra Nyny, que é o nome do meu passarinho que morreu hoje de manhã... Buáááááá!!!

E Erica, Pigmorim e Lady A desmaiaram com tudo.

- Ei... Gente... Vocês estão bem? - perguntou a Bynha

Feliz Natal!

~ próximo capítulo corrente em 07/01/2014 ~

- NETOIN! Mais! -


Um pouco sobre o autor do NETOIN! Mais!
Carlírio Neto
Carlírio Neto, uma pessoa que aprecia as coisas mais simples que a vida pode oferecer. Gosta das culturas japonesa, brasileira e latino-americana. Aprecia passeios e uma boa leitura. Gosta de lançar seus contos e histórias para o mundo ver e, quem saber, poder algo delas publicar algum dia. Prazer em conhecê-lo, nobre visitante.

sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

Uma Jornada pelo Item Maravilhoso [Capítulo #13]

A chamada oficial...

[capítulo anterior: aqui]

A Hakerin e o Lukurin haviam encurralado (mas não de forma brusca) a Lady A e a Jessyn. A jovem que ostentava o kimono de múltiplas cores não aparentava estar a fim de muita conversa, e sendo assim ela acabou preferindo ir logo para as tomadas mais diretas possíveis e imagináveis de seu ser, naquele momento.

- Ok, ok, ok... Chega de palhaçada. Saiam da nossa frente, pois estamos em uma missão importante... - disse a Lady A, olhando fixadamente para a Hakerin
- Não vamos sair... Sabe... Vocês podem querer atrapalhar o mestre. E isso é algo que eu não posso permitir... - respondeu a Hakerin, com um tímido sorriso no semblante
- Ora essa!!!! [grrrrrr] O que mais odeio em você é esse costume de sempre sorrir nas conversas, mesmo em momentos sérios. Parece que está tirando sarro de mim ou algo assim...
- Hum... A resposta é não. Nada disso. Estou bem. Só estou cumprindo ordens. 
- Mas que raiva!!!!!!!! [grrrrr] Pode sair da nossa frente de uma vez por todas? - esbravejou a Lady A
- Não!!!! - respondeu o Lukurin
- Não se intrometa... - disse irritada a Lady A
- Olhe... Calma... Princesinha... - Lukurin ia falando e diminuindo o tom da voz, em um modo puramente sarrista em suas palavras, que prosseguiram - Nervosa assim você ficará velha antes da hora e...
- Quem você está chamando de velha? - gritou com grande potência na voz a Lady A
- Ei... Calma... Era só uma brincadeir.... Whoa!!!!!!!!

[vuuupppp]

Neste momento, a Lady A não pensou duas vezes e fez uma rajada de vento sair da bola de cristal sem wi-fi dela, fazendo o Lukurin subir dez metros no ar e cair com grande violência no chão.

[poft!]

- E-eu... Estou bem... Não se preocupem... C-comigo... - dizia bem devagar o Lukurin, quase que enterrado por completo no chão

A Hakerin, neste meio tempo, apenas viu o amigo no chão e não pensou duas vezes em atacar a Lady A.

- Olhe... Isso não seria necessário, mas...  [prriiiiiiiiii!]

A moça tocou um estranho apito. Seu som era do tipo surdo. Não era possível saber o que ela queria, mas a Lady A tratou de não deixar passar a oportunidade para também provocar.

- Olha... Hakerin... Sem gracinhas, ok? Está na hora de eu fazer contigo o que fiz com seu amiguinho e... Hã? Que som é este? Parecem... Som de veículos motorizados que não pertencem à este mundo e... - Lady A se espantou - Não é possível!!!!

[vruuummmmm]

Cerca de cinco veículos de corrida passaram correndo pela Lady A, levando a guerreira para uma pequena voltinha pela região. Golpe baixo e inusitado por parte da Hakerin, que queria evitar um conflito. Nisto, a Jessyn que estava unicamente como telespectadora resolveu questionar a jovem em sua frente.

- Ok. O que significa tudo isso, Hakerin?
- Na verdade...

O cenário muda. Não muito distante dali, a Bynha parece ter observado tudo à certa distância. Mas como a sua mente estava desligada no momento, preferiu apenas acreditar que estavam todos brincando saudavelmente naquele momento, o que não era bem uma verdade.

Ao lado dela estava a Erica, ainda olhando de forma perplexa para "O Mais Popular". Em outras circunstâncias, poderia ser aqui dito que ela estava apaixonada pelo rapaz de calça preta e camisa amarela. Não se podia dizer o mesmo da parte dele, mas era inegável que um não parava de olhar para o outro.

[...silêncio...]

Nisto se passaram longos dez minutos.

Nem "O Mais Popular", nem a Bynha e nem muitos menos a Erica nada disseram. Parecia que o tempo havia parado naquele lugar quando, na verdade, apenas singelos sussurros provenientes da pequena estrangeira podiam ser ouvidos com clareza total.

Não mais do que de repente, a Bynha resolveu se pronunciar. Ela não mais aguentava toda aquela situação de silêncio absoluto. Aquilo não era com ela. Com toda a calma do mundo ela olhou para os dois e perguntou de forma clara...

- Aceitam uma limonada sem conservantes?

Aguarde!
Dia 24/12/2013, um especial de Natal 
estará aqui à sua espera!

~ próximo capítulo: 14/01/2014 ~

- NETOIN! Mais! -


Um pouco sobre o autor do NETOIN! Mais!
Carlírio Neto
Carlírio Neto, uma pessoa que aprecia as coisas mais simples que a vida pode oferecer. Gosta das culturas japonesa, brasileira e latino-americana. Aprecia passeios e uma boa leitura. Gosta de lançar seus contos e histórias para o mundo ver e, quem saber, poder algo delas publicar algum dia. Prazer em conhecê-lo, nobre visitante.

terça-feira, 17 de dezembro de 2013

Uma Jornada pelo Item Maravilhoso [Capítulo #12]

A chamada original...

[capítulo anterior: aqui]

[coração faz dokidoki... coração não pára de pulsar e de saltitar, sempre fazendo dokidoki...]

Possivelmente, a pequena Erica havia acabado de se apaixonar. Não para menos, pois quem estava à frente dela era o primeiro e único "O Mais Popular". Na verdade ele não estava tão na frente dela assim, pois o rapaz se encontrava no topo da edificação, olhando para todas aquelas fãs logo abaixo dele.

Aparentava ser humilde em seu semblante. Mas aquela calça preta e camiseta amarela (extremamente forte na tonalidade) davam à entender algo minimamente diferente. Uma imensidão de poder parecia emergir daquele moço, ao passo que outras duas sombras apareceram detrás do mesmo, sendo elas de um homem e de uma mulher. 

Enquanto "O Mais Popular" olhava para baixo, as suas sombras faziam poses dignas de apresentação de seriados do tipo super-sentai. Quanto à isso não havia nada de errado, em absoluto. Mas não se pode negar alguns fatos que ocorriam mediante à tal cena. Desta forma, averiguá-los é mais do que preciso.

- Hahahahahahahahahahahaaha!!!!!

A Lady A não parava de rir em nenhum instante. Para ela, a pose ali feita pelos amigos do astro principal parecia qualquer coisa, menos uma arte à ser elogiada. 

- Olha... Patrãozinho mandando bem novamente... [suspira baixo]

Esta era a Jessyn, que além de trabalhar para "O Mais Popular" também o admirava muito como pessoa. Mas não sentia nada equivalente à paixão ou algo assim. Esta era uma tarefa que ela deixava, exclusivamente, à cargo das fãs dele sempre em polvorosa...

- Oi!!!!! Tem limonada aí em cima?

Desnecessário enfatizar que esta era a Bynha. Sua paixão estabelecida pela bebida conhecida por suco de limão (mas sempre sem conservantes) parecia ser um mecanismo perfeito de inocência para ela. Não se permitia ver, ou sequer assimilar a existência, da maldade nas ideias de uma pessoa.

- (...)

Esta era a Erica. Apenas com o olhar fixo para "O Mais Popular". Se permitia apenas à ele ver. Estava realmente vidrada. Naquele instante era possível imaginar o que se passava na mente dela, com toda a segurança do mundo.

Mas o que ninguém desconfiava era que ele, "O Mais Popular", por alguma razão aguardava a visita dos três viajantes. Neste meio tempo, as duas sombras se revelaram como os seguidores fiéis da pessoa mais famosa de toda aquela região. E se apresentaram com toda a alegria possível.

- Olá, pessoal do bairro! Aqui é o Lukurin para dar o seu recado!
- E aí, gente? Aqui é a esportiva Hakerin pronta para malhar com todos vocês!

Lukurin e Hakerin. Trabalham há muito tempo junto do "O Mais Popular". Basicamente, construíram um tipo de império naquela região. Mas eram três pessoas unidas pelo mesmo ideal, sendo este o da mais plena diversão. Não á toa, todos os três trajavam o mesmo tipo de uniforme, sendo este o de calças pretas e camisas amarelas (extremamente fortes).

A Erica continuava a admirar "O Mais Popular". Não desprendia a visão dele, em nenhum instante. Estava hipnotizada, de alguma forma, pela aura que o rapaz emanava. Sua concentração só poderia ser interrompida, com certeza, por alguém que não tivesse nenhuma maldade em seu pequeno coração. E alguém serviu bem para a causa nesta questão.

- E-r-i-c-a!!!!!! Acorda!!!!! - gritou de forma estrondosa a Bynha
- Aiiiiiiiiiiiiii!!!! Meus ouvidos doem! Por que fez isto, Bynha? - questionou com relativa trsiteza no olhar a Erica
- Ah... Você estava aí, olhando para cima como se o céu fosse cair na sua cabeça e te dividir em dezesseis partes sumariamente iguais.
- Err... Não, obrigada. Isto com certeza iria doer demais....
- Siup! Siup!
- Bynha, sabe... Eu... Estou um tanto confusa...
- Não tem limonada aqui, já aviso... - respondeu tristonha a Bynha
- Não! Não é isso! É... Aquele moço de amarelo e preto lá em cima, sabe...
- Hum? Ah... Está falando de "O Mais Popular"? Ele é assim mesmo, extravagante às vezes [cutucando o ombro da Erica] Na verdade, ele é assim mesmo. E fala pouco, só o necessário, tanto que até agora só fez se apresentar...
- Sim, isso é verdade...
- Ei! Ele sumiu!!!!
- Hum?

A Erica olhou para cima, e ela estava a dupla Lukurin e Hakerin olhando para baixo. A direção deles era justamente para onde estavam a Erica e a Bynha, que se espantou prontamente.

- Erica... E-eu acho que estão observando a gente.
- Por que fariam isso, Bynha?
- Não sei... Talvez eles queiram minha receita secreta de limonada... - disse alegremente a Bynha
- Por favor, Bynha... - respondeu com face de desespero a Erica

[vuuuupppppp]

E um vulto pairou no solo. Ficou de frente para a Erica e a Bynha.

- Escuta... Você não é desta vila, certo? - questionou "O Mais Popular" para a Erica
- E-e... E-eu... N-não... S-sou... D-daqui... - respondeu trêmula a Erica.

A Lady A e a Jessyn observaram de longe. Nisto, a primeira personagem citada resolveu investir contra a chegada de "O Mais Popular", que estava com um estranho e sinistro olhar em sua face.

- Paradas aí! - gritou a Hakerin
- Isso mesmo! - acompanhou o Lukurin
- O que é isso? - exclamou para os dois a Lady A
- Vocês não vão impedir nosso mestre! - exclamou a Hakerin
- Ora, sua... - enervou-se a Lady A

Nisto, sem ter notado tal ação, a Bynha questionou "O Mais Popular"...

- Ei! Eu vou participar do seu programa, sabia? - sorriu a Bynha
- Bom para você... Mas estou interessado na estrangeira aqui... - respondeu "O Mais Popular"

Com isto, a Erica petrificou-se por dentro e fez com que todas aquelas moças olhassem furiosas para ela.

O que ocorrerá?

~ próximo capítulo: 20/12/2013 ~

- NETOIN! Mais! -

Um pouco sobre o autor do NETOIN! Mais!
Carlírio Neto
Carlírio Neto, uma pessoa que aprecia as coisas mais simples que a vida pode oferecer. Gosta das culturas japonesa, brasileira e latino-americana. Aprecia passeios e uma boa leitura. Gosta de lançar seus contos e histórias para o mundo ver e, quem saber, poder algo delas publicar algum dia. Prazer em conhecê-lo, nobre visitante.

sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

Uma Jornada pelo Item Maravilhoso [Capítulo #11]

O logo oficial...

[capítulo anterior: aqui]

"Grande concurso patrocinado pelo 'O Mais Popular' amanhã em seu 
anfiteatro colossal! Participem todos. O prêmio será o que o vencedor quiser!"

- Uêêêêêêê!!! - dizia feliz a Bynha enquanto escutava a transmissão pela bola de cristal sem wi-fi

Ela, Lady A e Erica estavam andando até a maior vila, que ficava há poucos quilômetros do casebre da Bynha. A humana vinda da Terra precisava adquirir mais três poderes especiais e, seguindo as instruções deixadas pelo Pigmorim, quem poderia fornecer o novo poder era "O Mais Popular".

Entretanto, a garotinha que veio em missão a este estranho mundo não tinha muita noção dos fatos acerca de tal celebridade. Entre a graciosidade da Bynha e a seriedade da Lady A, a Erica preferiu questionar a segunda pessoa citada sobre tal figurão.

- Lady A, quem é esse "O Mais Popular"?
- É um apresentador de auditório. Seus programas são conhecidos por ele deixar os participantes totalmente à vontade. Já participei de lá uma vez, mas nada consegui...
- Bom, e o que torna ele tão especial e conhecido assim?
- Erica... "O Mais Popular" jamais revelou o nome dele... Talvez seja este o segredo. Mesmo assim, muitas são as garotas que correm atrás de um gesto amigo da parte dele... Sabe, as ditas fãs...
- Ah, tem muito disto em meu mundo, sabe...
- Sério?
- Sim. Celebridades como artistas, cantores, jornalistas, praticantes de esportes, entre tantos outros, chamam muito a atenção para isso...
- Hum...

A caminhada prosseguia normalmente, até que um batalhão de moças apareceu correndo, basicamente atropelado as três aventureiras. Não foi uma cena das mais amigáveis, mas é certeza que tal evento contribuiu para algumas falas bem diretas e esperadas por parte delas.

- A-acho que estamos perto do anfiteatro... Ugh! Ugh! - disse com voz baixa a Bynha, com o rosto enterrado no chão
- Ah é? - respondeu de forma sarrista a Lady A - Qual foi a sua primeira impressão, Bynha? - questionou de ponta cabeça
- A-acho que é porque fui pisoteada por 55 moças... Delas, 20 usavam botas, 20 usavam sandálias, 10 estavam descalças e 5 não eram humanas... Ugh! Ugh! - respondeu a Bynha, com muita dor
- Bynha, sua capacidade em ser tão detalhista realmente me chama a atenção... - disse a Erica, que tremia de dor no chão
- Siup... Siup... - respondeu a Bynha

Após alguns minutos de recuperação (à base de limonada sem gelo e sem conservantes), o trio de aventureiras conseguiu avistar o anfiteatro. Era um lugar realmente grande. A capacidade em seu auditório era para duzentas pessoas sentadas nos bancos sem encosto apropriado para as costas.

A Erica prestou muita atenção nos arredores. Olhou para a edificação. Viu uma placa descrita como "inscrições aqui". Resolveu adentrar pela porta da mesma com as suas amigas.

- Gente, é aqui o lugar das inscrições! - disse a Erica
- Siup! - respondeu a Bynha

Ao chegar lá na portaria, atendendo todas os candidatos ao concurso do dia seguinte, estava uma pessoa com séria expressão facial. Junto dela, panfletos de viagens e também cadernos de anotações. Parecia ser alguém intelectual ou, minimamente, uma pessoa que estava trabalhando para juntar dinheiro com algum propósito próprio.

- Com licença. É aqui o local das inscrições para o concurso de amanhã? - perguntou educadamente a Erica
- Sim... É sim. - respondeu a moça, com a expressão séria na face
- Errr... Eu quero me inscrever no concurso de amanhã e...
- Não pode! - respondeu a moça
- O que? Como não posso? - indagou a Erica
- Você é residente daqui? Nunca a vi por aqui. Somente pessoas daqui podem se inscrever... - respondeu a atendente
- Não acredito... - disse a Erica, levando as mãos à face...

A Bynha estava segurando a Lady A, que queria tirar satisfações com a moça que atendia a Erica. Do nada, ela (Bynha) saltou à frente e falou com a moça.

- Ei! Eu me inscreverei, então!
- Peraí... B-Bynha, é você? - indagou a moça
- Siup! Sou eu! Se lembra de mim de onde?
- Sua maluquinha de vanguarda!!!! - respondeu a alegre a moça, que continuou - Você não mudou nada...
- M-mas não me lembro de você...
- Sou eu. Jessyn! Não se lembra? Estivemos juntas na passeata que houve na vila contra o Lord...
- Ah é... Ah é.. É mesmo! - gritou a Bynha - Fizemos muito escândalo, hihihi...
- Sim, mostramos o quanto odiamos o Lord...

As duas começaram a rir muito. A Lady A e a Erica começaram a se sentir um pouco desconfortáveis. Tanto que a dama trajando o kimono de diferentes cores resolveu intervir no processo.

- Aham! Desculpe, mas acho que temos uma inscrição para fazer aqui, não?

A Jessyn e a Bynha olharam fixadamente para Lady A, que começou a suar frio com a expressão facial das duas para ela. Até que, do nada, alguém falou...

- É mesmo! - disse a Bynha
- O que foi? Você vai se inscrever, é isso? - questionou a Jessyn
- Sim... Mas porque a Erica não pode participar?
- Erica é o nome daquela moça? Bom, ela não é daqui, certo? Então ela não pode se inscrever.
- Ahhhhhhhhhhhhh... Então me inscreverei!

Enquanto o processo de inscrição era feito, um aluz surgiu no céu. Junto dela, muitas moças que estavam lá fora começaram a gritar, tamanha a emoção do momento. 

- Tsc... Ele apareceu... - indagou a Lady A, olhando para a esquerda dela

As três aventureiras, mais a Jessyn,  foram para fora. Aquela multidão olhando para o céu e as quatro moças ficaram simplesmente caladas. Lá no alto estava a figura de um jovem. Não muito alto, mas de boa estatura. Ele trajava calça preta e uma camisa amarela das mais fortes, que brilhava na mesma intensidade que o Sol que estava detrás dele.

- Oi! Sou "O Mais Popular! - disse o rapaz com voz branda ao olhar para baixo

A Erica não conseguiu se desprender da visão. Parecia que ela havia, de alguma forma, se interessado pelo rapaz lá em cima. Mas...

~ próximo capítulo: 17/12/2013 ~

- NETOIN! Mais! -


Um pouco sobre o autor do NETOIN! Mais!
Carlírio Neto
Carlírio Neto, uma pessoa que aprecia as coisas mais simples que a vida pode oferecer. Gosta das culturas japonesa, brasileira e latino-americana. Aprecia passeios e uma boa leitura. Gosta de lançar seus contos e histórias para o mundo ver e, quem saber, poder algo delas publicar algum dia. Prazer em conhecê-lo, nobre visitante.

terça-feira, 10 de dezembro de 2013

Uma Jornada pelo Item Maravilhoso [Capítulo #10]

A chamada prevalece.

[capítulo anterior: aqui]

- Azzzaaaallllllllllmmmmmmmaaaaaaaaa!!!!!! - gritou do nada a Bynha, acordando todos naquela noite.
- Bynha, não assuste a gente assim! - respondeu logo o Pigmorim, após tamanho susto
- S-siup... 
- [suspira baixo] Não sei como a Lady A e a Erica não acordaram...
- Elas são fortes como grandes enlatados de pesca vendidos no mercado negro da vila ao lado! - respondeu sorridente a Bynha
- Bynha, você não toma limonada desde antes daquela luta com a Bethin... Você está falando loucuras agora... - disse de forma cautelar e pragmática o Pigmorim
- Siup... - respondeu triste a Bynha, que prosseguiu na sequência - O importante é seguir em frente e, para isso, vou preparar nove litros e meio de limonada!
- Bynha, não sei porque te levo à sério ainda... 
- Por que isso, Pig-mo-rim? - Bynha respondeu com uma piscada no final
- Mas você não tem senso do perigo mesmo!!! - gritou nervoso o Pigmorim
- Ai, ai, ai, ai, ai...
- Estamos em uma crise aqui! Lord, Bethin e Nanozaki já apareceram! E você age como se nada fosse importante! Como se nada fosse real! Como se... [tap!] - os gritos de Pigmorim foram interrompidos por um tapa na face

Era a Lady A, que havia acordado com muita raiva por causa dos gritos do rapaz. Dito isto ela foi avante na proposta de tirar satisfações com ele.

- Pigmorim... O que você quer ganhar... Gritando deste jeito... E acordando o casebre todo? Hein? - a resposta da Lady A ia aumentando gradativamente o tom de voz, palavra por palavra, até terminar com o grito letal
- M-mas foi a Bynha quem começou gritando e... [tap!] - e o rapaz foi interrompido
- Não tem vergonha de culpar uma outra pessoa? Não tem semancol mesmo hein? Que coisa mais feia... A Bynha está quieta no canto dela! Só ouvi você gritar, Pigmorim.
- Grrrrr...
- Não rosne para mim, seu moleque que finge ser homem!
- Ho! Ho! Agora você verá o que ganha por me chamar de mentiroso...

Os dois, Pigmorim e Lady A, começaram a brigar ferozmente. Nisto, quem acabou acordando foi a Erica que, com dois travesseiros, fez os amigos que discutiam caírem com tudo no chão.

- Ouch!!! - gritaram Lady A e Pigmorim ao mesmo tempo.
- Por que vocês me acordaram desta forma, hein? - perguntou a Erica, sonolenta
- Desculpe... - falaram os dois brigões ao mesmo tempo

Aquele ar de seriedade foi interrompido por um breve momento, pois alguém se aproximou...

- Oba! Aqui está, gente. Nove litros e meio de limonada (sem conservantes) para tomarmos no café da manhã! - disse sorridente a Bynha

Os três olharam perplexos para a sua amiga, mas como não havia muito à ser feito, foram ajudá-la a acabar com a dita bebida natural. Entretanto, na memória de todos, estava a lembrança de que a Bynha havia passado por uma situação muito ruim no dia anterior. Isto se tornou pauta de uma nova conversa.

- Bynha... Como que você se salvou ontem? - perguntou a Erica
- Hum? Ah é... Bom, eu estava com muitos problemas mesmo... Mas senti que Lord não estava me atacando de verdade.
- Como? - gritou desesperada a Erica - Você quase morreu, sabia?
- Calma! Calma! - disse a Bynha - É verdade que aquele corno é alguém poderoso e tudo o mais. Mas enquanto ele me atacava, senti que ele estava testando você, Erica. Aquele miserável, sanguinário, duas caras, hipócrita, metido, arrogante e corno dos infernos me usou como cobaia. O que ele queria era apenas me fazer desmaiar. E isso ele conseguiu.

O Pigmorim já tinha um conhecimento prévio disto pois, mesmo quase desacordado no chão, ele havia conseguido "sentir" aquele momento da batalha. Era tal como ele havia falado para a Erica no dia anterior. Por sua vez, a Lady A estava totalmente concentrada na conversa, segurando a bola de cristal sem tecnologia wi-fi.

A Bynha continuou a conversação.

- Lord... Ele queria era ver você em ação, Erica. Ele teve a coragem de me usar como isca para isso. Você acha que, se ele realmente quisesse matar à todos nós naquele momento, a Nanozaki e a Bethin seriam ordenadas à irem embora?
- ... - ficou sem resposta a Erica, que apenas abaixou a sua cabeça
- A Lady A resolveu usar seu grande trunfo na luta, não é Erica? Com o cântico dela, você pôde ser provida de seu poder inicial. Você gostou do seu poder, Erica? Eu não vi você em ação...
- Olhe, Bynha... Eu senti um grande poder se concentrando em mim. Então quer dizer que é só a Lady A cantar que eu terei poder?
- Errado! - se intrometeu a Lady A - Antes eu podia cantar quantas vezes eu quisesse. Não haveria problema entoar certos vocais mágicos e lhe dar poder. Mas agora não posso mais. Se eu fizer isso novamente... Bom, eu...
- Não fale! - gritou desesperada a Erica
- Erica... - disseram ao mesmo tempo a Lady A e a Bynha
- Acho que já entendi o que acontecerá... Mas o que farei agora, sendo que preciso de mais poder?
- Eu sei quem você procurará, Erica - respondeu o Pigmorim - Você deverá se encontrar com "O Mais Popular" e participar do programa de auditório dele.
- O quê? - gritou espantada a Erica
- Sim. Se você é tímida, terá que driblar esta circunstância...
- Siup! - respondeu a Bynha - Eu ajudarei a Erica à perder rapidinho a timidez dela!
- Ho! Ho! Ho! - disse a Lady A - Tal como eu imaginei... - ela complementou

Nisto, o Pigmorim se levantou da mesa e pegou suas coisas. Sua intenção era de se despedir do grupo.

- Bom, eu vou indo bem na frente, gente.
- Pig-mo-rim! Onde você vai? - perguntou a Bynha com face bem tristonha
- Vocês três devem ir procurar pelo "O Mais Popular". Eu irei para outro canto onde, provavelmente, a terceira pessoa a lhe conceder poderes se encontrará.
- Como vamos nos comunicar? - questionou a Erica
- A bola de cristal da Lady A... Será nosso canal de comunicação, mesmo sem wi-fi... - respondeu o Pigmorim

Com tímidos abraços e desejos de boa sorte, o Pigmorim seguiu o seu caminho. As três moças também começaram a sua caminhada até a grande vila, abastecidas de muito suco de limão.

Quem será este tal de "O Mais Popular"?
Haverá limonada o bastante para todos?

~ próximo capítulo em 13/12/2013 ~

- NETOIN! Mais! -


Um pouco sobre o autor do NETOIN! Mais!
Carlírio Neto
Carlírio Neto, uma pessoa que aprecia as coisas mais simples que a vida pode oferecer. Gosta das culturas japonesa, brasileira e latino-americana. Aprecia passeios e uma boa leitura. Gosta de lançar seus contos e histórias para o mundo ver e, quem saber, poder algo delas publicar algum dia. Prazer em conhecê-lo, nobre visitante.

sexta-feira, 6 de dezembro de 2013

Uma Jornada pelo Item Maravilhoso [Capítulo #9]

A chamada...

[capítulo anterior: aqui]

A Erica não conseguia se controlar. Enquanto ela corria na direção da Bynha, seu uniforme de guerreira foi desaparecendo de pouco em pouco. Uma ação que espantou, no momento, apenas a Lady A (mesmo tão fadigada como ela estava).

Quando a Erica segurou a Bynha no colo, a explosão de lágrimas acabou sendo colossal. O Pigmorim olhou pasmo para a cena, pois ele bem sabia o que havia ocorrido ali. A Lady A, exausta, apenas se permitiu usar a parede daquele casebre como local para deixar seu corpo descansando, mesmo de pé...

- Bynha! Não morra, Bynha! - gritava com força a Erica

Os gritos se seguiram por minutos à fio. Eram muito poderosos. Mas por alguma razão, o Pigmorim se sentia incomodado com os mesmos. Talvez seja possível que ele soubesse de algo que estava á acontecer com a Bynha (além do fato de ela ter sido surrada pelo Lord).

- Erica, deixe a Bynha em paz... - disse com muita seriedade o Pigmorim

Foi o suficiente para a Erica ficar muito brava. A humana não conseguia compreender, de forma positiva, como uma pessoa aparentemente não dá a mínima para uma amiga assim. Principalmente ao se falar de uma que foi inapelavelmente surrada em batalha.

Por sua vez, a Lady A apenas observava tudo aquilo acontecendo. Ela mal tinha forças para falar, pois havia gasto muito de sua energia vital com o auxílio direto à Erica. Mas ela havia começado a ficar muito pensativa também, principalmente com a calmaria por parte do Pigmorim.

- Parem com isso. A Bynha está... Apenas dormindo. - conotou o Pigmorim
- C-como é possível você falar uma coisa desta? Olhe para o estado da Bynha, Pigmorim! - esbravejou a Erica
- Humana... Você acha que o Lord atacou de verdade a Bynha? A resposta é não... Ele realmente a surrou, mas usou energia o suficiente para fazê-la apenas dormir após se sentir tão cansada.
- O quê?
- A Bynha vai acordar em breve, vai se lembrar desta batalha e, se eu conheço bem a criatura, ainda vai querer beber muita limonada para lutar uma vez mais contra a Bethin e o Lord.
- Para mim... A Bynha está quase morta... Como isso é possível?
- Simples: o Lord não atacou ela com tudo porque sabe que, cedo ou tarde, dependerá da Bynha também...
- Puxa vida... - lamentou a Erica

A Lady A, mesmo visivelmente cansada, resolveu falar.

- O jeito agora é todo mundo descansar. Não foram momentos fáceis e, Erica, acredito agora que o Pigmorim esteja certo. - disse com seriedade no olhar a Lady A

A Erica ficou sem respostas, e preferiu apenas seguir a ordem dada pela Lady A. Ela, por sinal, ficou uma hora do lado de fora daquele casebre de pau-a pique, apenas pensando sobre o que o grupo deveria fazer após tão importante ação.

Do lado de fora do casebre, Lady A e Pigmorim estavam de prontidão, ajudando a cuidar da Erica e da Bynha, que estavam dentro daquela pequena casa.

- Assim que a Bynha acordar deveremos provocar o "mais popular" e pedir para ele nos auxiliar, Lady A.
- Concordo, Pigmorim. Algo não está mesmo muito certo aqui... Isso é podre demais...

Quem seria "o mais popular"? Ele gosta de limonadas?

~ próximo capítulo: 10/12/2013 ~

- NETOIN! Mais! -


Um pouco sobre o autor do NETOIN! Mais!
Carlírio Neto
Carlírio Neto, uma pessoa que aprecia as coisas mais simples que a vida pode oferecer. Gosta das culturas japonesa, brasileira e latino-americana. Aprecia passeios e uma boa leitura. Gosta de lançar seus contos e histórias para o mundo ver e, quem saber, poder algo delas publicar algum dia. Prazer em conhecê-lo, nobre visitante.

terça-feira, 3 de dezembro de 2013

Uma Jornada pelo Item Maravilhoso [Capítulo #8]

A chamada de sempre.

[capítulo anterior: aqui]

- Urrrgggghhhhh! Gasp! Gasp!

A Bynha estava se contorcendo graças ao redemoinho formado ao redor dela, em uma ação sem precedentes do malvado Lord. Ele apenas olhava sério para a sua adversária, imponente naquele momento, sem nada poder fazer e sem ter como reagir de forma apropriada.

- Vamos, Bynha. Ceda de uma vez. Suas amigas estão praticamente sem nada poder fazer lá embaixo, o que eu já esperava de longa data. E pense bem, jovem nobre, pois nunca mais desfrutarás de uma limonada em toda a sua patética vida! - exclamou repentinamente o Lord para a Bynha
- Nãããããõoooooo!!!! Limonada é sagrada para mim! Se eu pudesse mover uma de minhas mãos... Só uma... Eu... Eu... Urrrrgggghhhhhhhhhh!!! - respondeu como pôde a Bynha para o Lord

Sim, esta era uma situação difícil demais para a simpática Bynha. O senhor do mal não estava com vontade alguma de perdoá-la e tratou de partir para o ataque final...

- Bynha... Eu lamento por você... Mas, por favor... Morra! - exclamou com autoridade Lord

A Bynha estava antes de frente para o seu adversário e, após uma rajada maior de poder interpolada pelo redemoinho ao redor dela, a jovem acabou virando-se para onde estavam a Lady A e a Erica (na forma da guerreira Erikina).

- Urrrggggghhhhh!!! - de repente a Bynha deixou de gritar de dor para se assustar com o que estava vendo - F-finalmente... Lady A... Erica... Está na hora da menção... Da... Acústica mágic...

A Bynha não completou a frase. Olhou contente para o que suas amigas estavam começando a fazer e se permitiu desmaiar. O Lord não estava prestando atenção na dupla Lady A e Erica, por isto apenas começou a comemorar a derrota da Bynha com certa autoridade.

- Bynha... Este lugar... Será o seu túmulo. Em breve os vermes comerão a sua carne e só lhe sobrará os ossos... Mas tu foi uma guerreira valente. Agora, aplicarei o golpe final e... E... - Lord se espanta ao ver um clarão - Não acredito!!!!

Mais à frente, a Erica parecia hipnotizada por algo ou alguém. Seus olhos estavam brancos. A Lady A havia erguido o item que carrega na mão direita e, após movê-lo, começou a entoar seu cântico...

"Nã... Nã, nã, nã, nã... Aaaa.... Nã, nã, naram..."

A Lady A repetia as falas com a voz suave. O Pigmorim, estirado no chão, se permitia sorrir alegremente (mesmo sentindo muita dor) ao ver a moça do kimono multi-colorido fazendo algo que era a sua especialidade máxima. Lady A cantava aquela frase, na mesma tonalidade (similarmente a uma canção de ninar) e, enquanto ela gesticulava gentilmente com o seu corpo (parecendo uma dança), uma aura de poder se estabelecia ao redor de Erica.

- I-isso... Vai para frente sempre, Lady A... A-agora é o momento... - Pigmorim encerrou a sua frase com o famoso sinal de positivo da sua parte, direcionado à Lady A

Lord olhou assustado para a Erica. Seu semblante era de grande temor, pois a pequena terráquea estava envolta por um grande e caloroso poder. Enquanto a Lady A cantava e gesticulava, a concentração de poder aumentava.

- Lord... Não sei direito quem você é... Mas não permitirei que faça o que bem quiser e... - a Erica pausou a sua frase, após notar a Bynha desmaiada no redemoinho de poder do senhor do mal - Bynha!!!! - gritou assustada a Erica
- Hum... Desista humana. A sua fraca amiga já foi desta para a melhor. Se tu desejas acompanhá-la eu... O quê?

Lord foi interrompido em sua fala, pois uma grandiosa rajada de poder havia lhe saltado lateralmente. Tal golpe veio da Erica que, com seu punho direito estendido e lacrimejando, gritou para o senhor do mal.

- Seu covarde!!!!! Como você pôde fazer isso com a Bynha? Maldito!!!!!

A Erica concentrou o poder e suas duas mãos. A magnitude era intensa, fazendo um turbilhão de ar se manifestar pelo seu corpo. Assustado (em sua face), o Lord apenas deixou a Bynha cair no chão. Ainda assim encontrou forças para dizer...

- Tola. Peço-te para que não leve isto adiante. Seu poder é grande demais para você, uma amadora, controlar. Se desistir agora, pouparei a sua vida. - exclamou o senhor do mal

A Lady A continuava cantando, mesmo estando visivelmente cansada. Não à toa ela só podia usar de tal poder apenas uma vez, pois aquilo a esgotava muito. O Pigmorim acabou intervindo, mesmo arrasado no chão.

- Vai, Erica!!!!!!!!

A humana ouviu ao chamado de seu amigo e, após ver a Bynha e a Lady A uma vez mais, apenas disse o que queria para o Lord.

- Tome isto, seu grande covarde!!!!! Poder supremo de Erica!!!!!! (clichê para o bem nome)
- Não é possível!!!! - gritou Lord, ao receber frontalmente a rajada de poder da pequena guerreira.

A Lady A não aguentava mais. Se entregou, não podia mais cantar ou dançar. Estava sem energias para tanto. Mas nem precisava mais do que isso. Ela viu o Lord com sua vestimenta quase totalmente arrasada. O sangue saía da mão direita do senhor do mal, por ter siso usado como escudo ante o grande poder emanado pela Erica.

- Garota... Você me pagará em breve por isso. O item será meu!!!!

E o Lord foi embora...

Neste meio tempo, já recobrando seu estado normal, a Erica (ainda vestida como a guerreira Erikina) foi correndo até onde estava a Bynha. Segurou sua amiga no colo e começou a chorar de desespero.

- Bynha!!!!!!!!

O que acontecerá agora?

~ próximo capítulo em 06/12/2013 ~

- NETOIN! Mais! -

Um pouco sobre o autor do NETOIN! Mais!
Carlírio Neto
Carlírio Neto, uma pessoa que aprecia as coisas mais simples que a vida pode oferecer. Gosta das culturas japonesa, brasileira e latino-americana. Aprecia passeios e uma boa leitura. Gosta de lançar seus contos e histórias para o mundo ver e, quem saber, poder algo delas publicar algum dia. Prazer em conhecê-lo, nobre visitante.

sexta-feira, 29 de novembro de 2013

Uma Jornada pelo Item Maravilhoso [Capítulo #7]

Segue a aventura!

[capítulo anterior: aqui]

Se a Lady A estava possessa de raiva, a Erica (em sua forma de Erikina a heroína) esbanjava cautela no olhar. Até porque em sua frente estava ela, Lord, com sua imponência visível e grotesca (apesar da pouca altura do mesmo). O cenário era bem desolador, pois a dupla Bynha e Pigmorim ainda estava no chão (literalmente) e a porta daquele casebre não mais existia (após certas explosões durante as lutas que ali perto ocorreram).

Lord era um vilão. Suas intenções não estavam muito claras para os presentes, mas em sua mente doentia ele sabia o que queria. O tangível para tal ser era o poder absoluto, total e pragmático. Seu discurso na face de Lady A voltara com imenso vigor.

- Lady A, deveria admitir que tu perdeu a vontade de cantar após aquele terrível incidente... Lhe ofereço minha humilde condolência e apelo sentimental sobre o caso [com ironia na face]. Entretanto, não tenho a intenção de ajudá-la. Vou aniquilar você agora, para que a humana ao seu lado não tenha nada para aprender, nem muito menos por fazer - Lord encerrou sua fala suspirando baixo
- Seu frande verme... - disse Lady A para Lord, bem irritada - Quem você pensa que é? Eu sei... Não... Eu tenho certeza que foi você quem armou tudo aquilo no "Show do Mais Popular", quando eu estava no palco cantando para todos ali... Passei muita vergonha naquele dia...
- Cara Lady A, já disse muitas vezes para ti que nada fiz. As coisas aconteceram com propriedade natural e absoluta. E faço um adendo: isto de nada importa agora. Não deixarei que tu cumpra a missão de guia desta garota!
- Guia? Eu? Como você ficou sabendo... - Lady A é interrompida por uma voz vinda do chão

- Não seja booooobbbbbaaaaaa!!!! - berrou lá do chão a Bynha
- B-Bynha? Você está bem? - perguntou chorando a Erica, indo de encontro a sua amiga
- Erica, não posso falar muito agora [cof, cof]... Mas a Lady A ela tem... Tem o que você precisa para todo o seu poder aparecer e... E... Ahhhhhhhhhhhhhhhh
- Bynha!!!!!!!!!!

A Bynha tinha sido interrompida por Lord que, com um movimento de sua mão, tirou a jovem do solo e a levou até a sua frente.

- Solte a Bynha, seu malvado!!!!! - gritou a Erica, sem sucesso algum

Lord não ligara em nada para a fala da terráquea. Na visão dele, a Erica não passava de uma garotinha comum e totalmente inofensiva, mesmo trajada como alguém que poderia ter algum poder oculto. Dito isto, o grande senhor malvado começou a falar com a Bynha.

- Sabe, Bynha, você é um ser extraordinariamente inteligente. Pena que é meio inocente, pois não nota o perigo que corre, sua inútil. Minha vontade inicial era de sequestrá-la e deixá-la sob os cuidados da Bethin, mas acabei mudando de ideia para algo mais usual...
- Urrrggghhhh - se contorcia a Bynha pelo poder de Lord
- Você representa perigo para mim e para o que anseio buscar. Eu acharei o Item Maravilhoso, farei meu desejo singular e, com isto, dominarei este patético mundo para todo o sempre. E como disse-lhe antes, tu é uma ameaça e não posso permitir que viva... Mas não se preocupe, pois será indolor e rápido o processo de sua ida para o além...
- Urrrrggggggghhhhhhhhhh!!!!! - gemia com muita dor a Bynha, envolta por um turbilhão de poder que a sufocava lentamente

A Lady A olhava assustada para aquilo. Ela sabia o que fazer mas lhe faltava coragem para tanto. A Erica se virou para ela lacrimejando, pois queria ajudar a Bynha e não se via em condições mínimas de poder ter uma ação definitiva para tanto.

- Lady A, o que eu d-devo f-fazer? - perguntou de forma incrédula a Erica para a Lady A, que nada respondera

Enquanto a Bynha estava sentindo na carne o poder de Lord, uma voz do chão se fez lançar para Lady A, em um misto de raiva e ação conclusiva.

- Não seja idiota, Lady A! Você... Sabe o que tem de fazer! - disse Pigmorim, fazendo um sinal de positivo para a moça de kimono multi-colorido

Ela, Lady A, começou a olhar fixadamente para Erica que, por sua vez, ficou quieta.

- Eu não deveria fazer isto, mas vou fazê-lo! Erica, prepare-se! - disse Lady A
- Eu não sei o que você p-pretende...
- Apenas confie em mim. Não poderei fazer isto mais uma vez... Na verdade, queria ter de usar disto mais para frente, mas não tenho escolha...

Enquanto Erica e Lady A se encaravam, a Bynha gritou por ajuda....

- Socorro!!!! Quero ser salva!!!! Quero limonada!!!! Mas primeiro, me saaalllvvveeemmmmmm!!!!

O que ocorrerá?

~ próximo capítulo em 03/12/2013 ~

- NETOIN! Mais! -

Um pouco sobre o autor do NETOIN! Mais!
Carlírio Neto
Carlírio Neto, uma pessoa que aprecia as coisas mais simples que a vida pode oferecer. Gosta das culturas japonesa, brasileira e latino-americana. Aprecia passeios e uma boa leitura. Gosta de lançar seus contos e histórias para o mundo ver e, quem saber, poder algo delas publicar algum dia. Prazer em conhecê-lo, nobre visitante.

NETOIN! Mais!



O blog está presente desde 27 de fevereiro de 2008.

E esta é a quinta alteração de template dele, datada de
18 de outubro de 2013.

(a última foi em 16 de dezembro de 2012)

- Grato pela visita -



Blog sobre assuntos diversos - Favor não copiar os textos do blog sem antes entrar em contato com o dono do mesmo.
NETOIN! Mais! 2008-2014