terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

Uma Jornada pelo Item Maravilhoso [Capítulo #20]

A chamada.

[capítulo anterior: aqui]

Parecia que o mundo despencaria naquele instante para a Erikina. A brava estrangeira estava caindo, após ter pulado de um buraco na parede do escritório de Dighin, após ter recebido um forte golpe por parte do Desurso. O problema é que os dois pularam também, sequencialmente, e a tendência mais natural é de que os três basicamente viessem à se esborrachar no chão.

Mas isso não acabou acontecendo.

A Erikina acabou caindo em uma área plana, poucos segundos após a queda, que flutuava no ar. O mesmo ocorreu com Desurso e Dighin. Assim que os três chegaram à tal plataforma, a mesma se encarregou de levá-los até o solo, como uma (talvez) falsa impressão de segurança pelo caminho.

Mas os nervos estavam à flor da pele, Sem nem se tocarem ou pensarem sobre como tal plataforma ali apareceu, a Erikina e o Desurso começaram a se digladiar com certa imponência. O Dighin observava apenas, aparentando fazer as vezes de um juiz ou de um mero espectador.

- Vamos! Ataque-me, Erikina. Mostre que você merece a confiança de todos que ficaram lá no escritório. A não ser que... - esbraveja de forma implicante Desurso
- Chegaaaaaaaa!!!! - gritou a Erikina, que depois continuou - Você vai pagar pelo que fez à Lady A, seu monstro!
- Tola inconsequente... Continua agindo com a emoção... Despontado aqui...
- Como é?
- Chega disso. Está na hora de aplicar em você uma importante lição!
- Como é que... - Erikina foi interrompida

[hoooooooo!!!!!]

Após tal dizer, Desurso se aproximou de sua oponente e começou a socá-la muito, com golpes que variavam entre os seus punhos esquerdo e direito. Nota para o fato de ele nem encostar na pequena estrangeira, uma vez que o vento produzido pelo movimento de tais partes de seu corpo era forte o bastante para golpeá-la com força.

- O que acha, sua tola? - gritou Desurso
- Aiiiiii!!!!!!!! Ai! Paaaarrrrraaaaaaaa!!!! - respondia desesperada a Erikina
- Toma! [golpe] Toma! [golpe] Toma! [golpe]
- Aiiiêêêêêêê!!!

A Erikina parecia estar à mercê completa dos golpes de Desurso. Estranhamente o Dighin apenas a observava ao longe, como quem queria alguma coisa dizer mas que, na verdade, nenhuma ação executava. À propósito, a pequena guerreira não conseguia se conter mesmo estando transformada.

Desnecessário enfatizar que o Desurso não perdeu tempo para provocá-la, tão logo havia dado uma pequena pausa em seus ataques.

- Tola!
- Puf Puf!
- Olha para você, só sabe agir com a emoção. É necessário alguém estar morrendo na sua frente para você agir? Sua idiota!
- Como é?
- Isso que você ouviu! [golpe]
- Ouuuccchhh!!!!
- Tola! E quando você estiver sozinha, cara-a-cara com o perigo, como agirá? Idddiioootttaaaa!!! [golpe]
- Aiiiiiiiii!!!!!
- A única coisa boa em você é sua resistência. No mais, não passa de uma tola disfarçada que brinca de ser uma guerreira...
- Puf! Puf!
- Tomaaaaaa!!!!!! [golpes seguidos]
- Aiiiiêêêêê!!!!

O Dighin continuava olhando ao longe, mas começava a ficar muito impaciente. Neste meio tempo, a plataforma havia chegado ao solo. 

Ao chegar em terra firme, a Erikina pulou da plataforma para trás, quase ajoelhando-se no chão e levando uma de suas mãos até a barriga. Era um sinal claro de dor forte e tremenda que ela estava sentindo, após ter sido vítima de tantos duros golpes por parte do Desurso.

E falando no próprio, o homem desceu com força da plataforma. Ficou encarando a Erikina ao longe, com raiva. Parece que Pigmorim havia falado muito da garota para ele e, em razão disto, o próprio Desurso acabou criando uma expectativa muito alta para tal combate.

- [O que farei? Como poderei pará-lo? Será que só agir com a emoção mesmo? Sou tão boba quanto ele pensa?] - pensava consigo mesma a Erikina

Neste meio tempo em que pensava, os passos lentos a sua direção indicavam que ele, Desurso, estava indo ao encontro dela. 

- [O que farei? Eu sei que não sou uma tola como ele pensa, mas eu realmente não sei o que farei...] - continuava a pensar consigo a Erikina

Enquanto ela olhava para ele, um grito pôde ser escutado...

- Não seja tonta!!!!!!!

Não era a voz do Desurso, nem do Dighin. Era uma voz feminina, mas não podia ser a Lady A. Quando a Erikina olhou para trás viu quem era...

- Não seja boba, sua boba! - gritou a Bynha, segurando a bola de cristal sem wi-fi da Lady A em suas mãos

~ próximo capítulo: após mudança de residência ~

- NETOIN! Mais! -


Um pouco sobre o autor do NETOIN! Mais!
Carlírio Neto
Carlírio Neto, uma pessoa que aprecia as coisas mais simples que a vida pode oferecer. Gosta das culturas japonesa, brasileira e latino-americana. Aprecia passeios e uma boa leitura. Gosta de lançar seus contos e histórias para o mundo ver e, quem saber, poder algo delas publicar algum dia. Prazer em conhecê-lo, nobre visitante.

sexta-feira, 7 de fevereiro de 2014

Uma Jornada pelo Item Maravilhoso [Capítulo #19]

A grande chamada...

[capítulo anterior: aqui]

A Erica estava muito sentimental naquele momento. Na sua frente estava o homem que havia maltratado sua amiga, a Lady A. Ela, Erica, não tinha a mínima intenção de perdoar aquele sujeito por tal ato. Logo após o mesmo ter dito o seu nome ela respondeu com relativa segurança...

- Desurso, é isso? Ok, então...

Após a curta fala, a Erica iniciou o seu processo de transformação, convertendo-se pela segunda vez na guerreira Erikina. Entretanto (e apesar disto) o adversário que estava à sua frente parecia não se importar muito com isso. Tudo que Desurso fez foi ficar olhando seriamente para a garota. Todos os demais no recinto estavam silenciosos, porém atônitos, com a visão que estavam tendo naquele momento.

Em meio ao silêncio de alguns minutos após a transformação da Erica (agora como Erikina), uma pequena conversa teve início do outro lado daquele escritório.

- Ei, Jessyn, você não está com receio de algo?
- Hakerin, não acha que falar isso agora soa muito óbvio e na nossa cara? A gente viu uma menina se transformar em uma guerreira na nossa frente! Como não vou ter medo de algo?
- Sim, eu sei... Mas, olhe para a cara do nosso chefe.
- Hum? O que tem o Dighin?
- Apenas olhe.

O Dighin, dono daquele escritório e de toda aquela construção, olhava sério para a garota estrangeira que havia se convertido em uma guerreira. A palavra excepcional não é a única que merece ser aqui exaltada, pois o rapaz estava totalmente inquieto. Para a Hakerin e a Jessyn, que trabalham na empresa dele tem algum tempo, não era comum ver o seu mestre com um semblante tão compenetrado.

Neste momento a Bynha, que estava cuidando da Lady A, olhou fixadamente para a Erikina e lhe disse algo muito sério...

- Erica... Ou melhor, Erikina... Você se lembra da luta de dias atrás, certo? Tu viu o poder de Nanozaki, Bethin e Lord, certo? Acha que pode realmente enfrentar esse grandalhão aí?
- Eu não sei, Bynha... Na verdade, continuo sendo uma garota fraca... Mas o que ele fez à Lady A não tem perdão!
- Sim, tá certa... Mas eu não tenho limonada comigo e...
- Bynha, onde entraria a limonada nesta situação toda?
- A limonada é uma bebida relaxante, prazerosa, digna de reis e rainhas! Siup!
- Hã? Ok, ok... Eu agradeço, mas agora preciso ajustar contas e...

Neste momento a Erikina foi interrompida pelo Desurso...

- Acertar contas? Comigo? Olhe, garotinha, o fato de você ter se transformado não significa nada para mim.
- O quê? - respondeu com raiva a Erikina
- Hum... Não tenho que alongar muito isso. Apenas acabarei com você rapidamente.
- O que você quer? Por que fez isso com a minha amiga? Por que quer me enfrentar? Por que...

A Erikina foi interrompida por um golpe brutal. Desurso fechou seu punho direito e o lançou com toda a força na direção do corpo da estrangeira. Não a atingiu fisicamente, mas o poder gerado foi forte o bastante para quebrar a parede e lançar a garota com tudo para fora do escritório.

- Aiiiêêêêêê!!!!! - gritava a Erikina enquanto caía
- Garota de sorte. Se não fosse a tal transformação, ela teria morrido agora mesmo... Mas não pense que escapará de mim! Hooo!!!!!!

Após dizer isso, o Desurso pulou atrás da guerreira Erikina. Neste meio tempo, Dighin se dirigiu até onde estavam a Hakerin e a Jessyn. Olhou para as duas com seriedade e lhes pediu um grande favor...

- Posso contar com vocês para um favor grandioso?
- Sim! - responderam juntas Hakerin e Jessyn
- Mandem a conta de minha parede para a empresa rival. Eles cobrirão tudo.
- M-mas... - gaguejou a Hakerin
- Sem mais!
- Chefe! Tem algo muito mais importante acontecendo agora! - gritou a Jessyn
- Eu sei disso, minha cara... - respondeu com calma Dighin
- Se sabe, então...
- Eu irei atrás dos dois. Tenho papel importante nisto tudo.
- Como disse, mestre? - questionou a Hakerin
- Hum... Isto que você ouviu, Hakerin. Estou indo agora. Cuidem-se vocês duas
- Mestre!!!!! - gritaram Hakerin e Jessyn juntas

E lá se foi Dighin, correndo na direção do grande buraco em sua parede e nele saltando para fora, indo atrás da Erikina e do Desurso.

Entretanto, a Bynha estava confusa demais. ela foi calmamente até a Jessyn e com ela falou...

- Ei! Jessyn! Quero te pedir um favor importante.
- Qual?
- ... - ficou um pouco em silêncio a Bynha, que depois respondeu - Cuide da Lady A. Logo ela acordará. Você e a Hakerin deverão contar tudo para ela, ok? E avise-a que estou levando a bola de cristal sem wi-fi dela emprestada.
- Aonde você vai, sua maluquinha?
- Fazer o que tenho de fazer! Aehôôôôô!!!

E lá se foi a Bynha, correndo até aquele buraco na parede e nele saltando.

- Esse pessoal é todo maluco, Jessyn... - ponderou a Hakerin
- Eu sei, eu sei. Mas... - respondeu a Jessyn

Uma pergunta fica no ar: não teriam todos que saltaram se espatifado no chão após a queda?

~ próximo capítulo em 11/02/2014 ~

- NETOIN! Mais! -

Um pouco sobre o autor do NETOIN! Mais!
Carlírio Neto
Carlírio Neto, uma pessoa que aprecia as coisas mais simples que a vida pode oferecer. Gosta das culturas japonesa, brasileira e latino-americana. Aprecia passeios e uma boa leitura. Gosta de lançar seus contos e histórias para o mundo ver e, quem saber, poder algo delas publicar algum dia. Prazer em conhecê-lo, nobre visitante.

terça-feira, 4 de fevereiro de 2014

Uma Jornada pelo Item Maravilhoso [Capítulo #18]

A chamada real...

[capítulo anterior: aqui]

A Erica estava dominada pela raiva. Ela não suportava a ideia de ver um de seus companheiros apanhando, ali, na frente dela, como se isto fosse a coisa mais normal do mundo todo. Estava lacrimejando muito. Por sinal, devia haver um motivo para "Ele" ter feito o que fez coma  Lady A na frente da Erica.

- Seu monssstttrrrooooo!!!!!! - gritou a Erica com muita raiva

Depois disto, "Ele" olhou para o lado. Direcionou a sua atenção para Dighin, que estava quieto assistindo à tudo ali ocorrer. Com um semblante sério, o dono daquele lugar perguntou de forma sucinta para a sua ilustre visita...

- "Ele", você deseja lutar comigo depois? Acredito que... Você tem com quem se preocupar agora... Ou enfrentar com força. - disse Dighin
- Hum... Estou conceituando isso. Sim, de fato... Pigmorim havia dito para eu tomar cuidado com esta tal de Erica.
- Sério? Ela é uma estrangeira. Veio de um outro mundo. Até aqui para impedir Lord de ter o Item Maravilhoso para ele. Ela atendeu a um chamado da Bynha.
- Ho-ho... - "Ele" riu com um tom deveras sarcástico e depois prosseguiu - Parece que poderei me divertir com esta garotinha... Me diga, Dighin, ela enfrentou mesmo o Lord, a Bethin e a Nanozaki?
- Segundo o Pigmorim contou para mim dias atrás, parece que sim. Lady A foi a responsável por dar o primeiro poder indispensável para a Erica. E agora, este grupo iniciou uma incursão até aqui, pois a estrangeira precisa aprender mais dois importantes golpes para seguir com a missão dela.

A Erica, junto da Lady A em seu colo e da Bynha em pé à sua esquerda, estava atônita. A conversa entre Dighin e "Ele" ressoava como um tiro direto em seu peito. Ela não acreditava que teria de passar por tanta coisa.

- [Maldito... Pigmorim... Por que falou tudo isso para eles?] - pensava a Lady A, uma vez que ela também escutou a conversa
- [ Nossa... Erica... Cuidado, menina-moça...] - pensava a Bynha, que pela primeira vez esboçava uma expressão séria em seu semblante

Do outro lado da sala, a Jessyn começou a comentar algo com a Hakerin...

- Então é por isso que o mestre Dighin forjou este concurso, Hakerin?
- Hum... Sim... Esse tal de Pigmorim veio com tudo pedir pela ajuda dele. Mas nunca imaginei que ele iria até "Ele", o maior adversário do nosso mestre, para falar sobre isto também.
- Sim. Acho isso também. - Jessyn abaixou a cabeça, preocupada, e prosseguiu - Estou com um mal pressentimento, quanto à esta garota e o que deverá ocorrer com ela...
- Fala da estrangeira Erica?
- Ela mesma. Você não notou como ela olhava fixadamente para o nosso mestre?
- Verdade, notei sim. É como se ela tivesse gostando dele ao primeiro olhar.
- Correto. Pense agora na possibilidade deste gostar se transformar em repúdio, em razão desta conversa e de toda a verdade vindo à tona.
- Sim... É um coração que se despedaçou em poucos instantes...
- Sim... Eu temo por isso...

Mesmo estático (ainda) o Lukurin em algo pensava...

- [Erica... Menina estrangeira... Enfrente esta prova pelo seu próprio bem...]

Todas as atenções voltaram-se para a Erica, que olhou suavemente para a Bynha e lhe pediu um grande favor...

- Bynha, cuide da Lady A... Ela parece desacordada ainda... Estou muito preocupada com isso...
- Sim, eu cuidarei... M-mas... E-e v-você, Erica? - disse a Bynha começando a lacrimejar
- ... - suspirou a Erica e depois respondeu com força - Preciso fazer com que troglodita pague ao que fez em nossa amiga...
- S-siup...

Nisto, "Ele" olhou para a Erica e disse...

- Parece que você tem raiva de mim, pois eu acabei machucando a sua amiguinha, não?
- Machucando? S-seu grande... - a Erica foi interrompida por um tapa em sua face, dado à distância, cujo vento gerado cuidou de produzir todo o impacto
- Por favor... Explosão emocional não vai te levar à lugar algum, sua tola...
- D-desgraçado!!!!!!!
- Ho-hoo... Então a estrangeira sabe xingar? Transforme isso em força de combate, sua tola presunçosa, e me enfrente. A não ser que tenha desistido de vingar a sua... Amiga?
- ... - um breve silêncio antes da resposta que seria proferida pela Erica - Vamos resolver isso logo! Mas antes, exijo saber uma coisa!
- Você se acha no direito de algo exigir? Eu diria que... - "Ele" foi interrompido
- Sim! Estou em meu direito sim! - respondeu com força a Erica
- Certo... Qual a sua exigência, tola?
- [puf! puf!] Antes de eu me transformar, quero saber o seu nome. Não quero enfrentar alguém cujo nome eu não sei.
- Meu nome? Meu nome é "Ele"!
- Mentiroso! - Erica berrou batendo com o punho fortemente na parede
- Como?
- "Ele" não pode ser o seu nome. O Dighin mesmo só se apresentou depois, pois ele é mais conhecido como "O Mais Popular" pelos seus fãs. Se tu é um rival dele, com certeza tens um nome á revelar, também!

Todos ficaram quietos pois, além do Dighin, ninguém mais sabia o nome verdadeiro de "Ele". O próprio dono daquele lugar começava a temer por isto. Mas preferiu nada dizer. Apenas ponderou sobre o que estava acontecendo, no mais puro e inabalável silêncio.

As atenções voltaram-se para o semblante sério de "Ele", que misturava reprovação e surpresa em seu olhar, totalmente direcionado para a pequena Erica. Com isto, ele resolveu responder a estrangeira...

- Então... Você quer saber o meu nome, porque acha importante saber quem está enfrentando, confere?
- Sim! Isso mesmo! - berrou com muitas lágrimas nos olhos a Erica
- Certo! Após eu dizer meu nome, você se transformará, pode ser assim sua tola?
- Sim! Diga o seu nome agora!

O silêncio tomou conta do recinto por alguns bons segundos. E, após respirar bem fundo, "Ele" respondeu o que a Erica desejava.

- Meu nome é Desurso! O primeiro e único homem do tamanho de um urso e com a força de um verdadeiro deus!

~ próximo capítulo: 07/02/2014 ~


- NETOIN! Mais! -


Um pouco sobre o autor do NETOIN! Mais!
Carlírio Neto
Carlírio Neto, uma pessoa que aprecia as coisas mais simples que a vida pode oferecer. Gosta das culturas japonesa, brasileira e latino-americana. Aprecia passeios e uma boa leitura. Gosta de lançar seus contos e histórias para o mundo ver e, quem saber, poder algo delas publicar algum dia. Prazer em conhecê-lo, nobre visitante.

NETOIN! Mais!



O blog está presente desde 27 de fevereiro de 2008.

E esta é a quinta alteração de template dele, datada de
18 de outubro de 2013.

(a última foi em 16 de dezembro de 2012)

- Grato pela visita -



Blog sobre assuntos diversos - Favor não copiar os textos do blog sem antes entrar em contato com o dono do mesmo.
NETOIN! Mais! 2008-2014