sexta-feira, 7 de novembro de 2014

Uma Jornada pelo Item Maravilhoso [Capítulo #24]

A chamada tradicional.

[capítulo anterior: aqui]

Já no escritório, em um estado de silêncio quase absoluto, Dighin e Desurso olhavam atônitos para o local. Não que a quietude não fosse bem-vinda, longe disto, mas dados os últimos acontecimentos tudo parecia cada vez mais incerto...

Lá embaixo, a Bynha ainda ostentava a jovem Erica em seu colo. Tudo levava à crer que aquela transformação para Erikina seria inesquecível e talvez a mais dolorosa. A batalha, que não havia passado de um reles teste de resistência, na verdade acabou indo mais além do que devia. Praticamente todos haviam sofrido ali, sem o mínimo grau de misericórdia para ser atribuído.

A Hakerin e a Jessyn olhavam para seu mestre, que ainda esboçava um semblante sério e nada cordial. O mesmo valia para o Desurso, que estava totalmente calado e apenas observando as ações que poderiam ser ali tomadas. Como o silêncio ainda imperava forte (incluindo nisto o Lukurin, que ainda estava parado como uma estátua em frente à porta do escritório) começava a se presumir que ninguém nada falaria, que não havia a necessidade real de algo ser dito.

Neste meio tempo alguém continuava a observar o grupo ali mesmo, sob as sombras, sem deixar notar-se à ninguém. Incrédula, a jovem de longos cabelos negros começou a algo divagar mesmo que para si própria...

- Hum... Acho que o mestre não precisava se preocupar tanto. Realmente, não para o quê serviu observar este grupo à trabalho aqui... Esta estrangeira não acordará tão cedo e, seguramente, se chegar a se levantar correrá o sério risco de dormir para todo o sempre. Bom, vou ficar aqui um pouco mais, pois pressinto que algo ocorrerá daqui há pouco...

De fato, a jovem não estava enganada. Logo após sua fala, os presentes na sala começaram a escutar um cálido cântico, oriundo da Lady A. Ela havia se levantado sem ninguém ter percebido. Parecia algo bem estranho. A moça, detentora da bola de cristal sem tecnologia wi-fi, olhou para o buraco e, com uma expressão neutra na face, começou a cantar...

[nooonononoooon... nooonononoooon...]

Com o passar de poucos segundos, a Bynha e a Erica apareceram no escritório. Enquanto a primeira continuava a chorar meticulosamente, a segunda ainda não acordara de sua mais atual contenda. Não era uma visão das mais animadoras. Desnecessário dizer o quanto a Lady A estava furiosa por dentro. Famosa por não medir suas palavras, ela abriu os olhos bem devagar após ter entoado tal cântico mágico, virou-se e, olhando para todos, começou a esbravejar com muita raiva...

- Seus idiotas! - gritou a Lady A, que depois prosseguiu - Todos vocês não passam de grandes idiotas! Sem exceção! Até mesmo eu aqui sou uma idiota.

Todos olharam com extrema conformidade para ela. Nisto, o Dighin tentou algo indagar...

- Lady A, acalme-se. Tudo isto foi necessário para podermos...
- Silêncio, Dighin! Feche esta sua matraca, por todos os deuses do mundo! Por que sujeitar a Erica, que é uma estrangeira, para tal difícil provação? Me diga, para quê? O que se ganha com isso? O que alguém aqui ganhou com isso?
- ...
- Como imaginei... Ficar calado é tudo o que você poderia fazer agora, não é mesmo? - nisto a Lady A mudou o seu olhar para o Desurso e continuou - E você, seu brutamontes desqualificado social e magicamente? O que tem a dizer em sua defesa, seu monte de nada?

O Desurso apenas olhou diretamente para a Lady A e, em seu tom já conhecido, respondeu-a com extrema vontade...

- Cale essa sua boca... Tudo que ocorreu aqui foi necessário! Tudo! Se a estrangeira não tomar plena consciência de seus poderes e responsabilidades agora, não mais conseguirá fazê-lo...
- ...
- Agora quem fica quieta é você, não é? Olha para você... Quase sem energia alguma e usando o pouco que tem para magias que muito exigem de seu corpo e mente... - indagou Desurso que ainda continuou - Por favor, pare de melodrama barato por aqui, certo?
- Nada disto era necessário... Nada disto... Nada...
- Então, você tem uma ideia melhor, não é verdade?
- Ideia? Confiar nela não seria o bastante?
- Claro que não seria. O que tu acha? Pare com isso, por favor...
- Escute aqui, seu grand...

A Lady A foi interrompida de maneira agressiva por uma voz...

- Chega! Vocês dois, parem agora! - esbravejou Dighin, olhando para ambos naquele momento...

Neste meio tempo, a presença que estava na sala sumiu com uma expressão desconfiada. Era a moça de longos cabelos escuros que, minutos após, encontrava-se em uma grande mansão encravada entre três montanhas. E ali, ela foi recepcionada por duas presenças femininas e uma masculina...

- Mestre, trago algumas novidades... - disse a jovem de longos cabelos negros
- Muito bem. Conte para nós o que sabes... - respondeu Lord

[continua...]

~  próximo capítulo: 11/11/2014 ~

- NETOIN! Mais! -

Um pouco sobre o autor do NETOIN! Mais!
Carlírio Neto
Carlírio Neto, uma pessoa que aprecia as coisas mais simples que a vida pode oferecer. Gosta das culturas japonesa, brasileira e latino-americana. Aprecia passeios e uma boa leitura. Gosta de lançar seus contos e histórias para o mundo ver e, quem saber, poder algo delas publicar algum dia. Prazer em conhecê-lo, nobre visitante.

0 opinião ( ões ) à respeito:

Postar um comentário

Deixe aqui sua opinião sobre este texto.
Com isto, o [NETOIN! Mais!] poderá crescer e se desenvolver ainda mais.

Muito agradecido!

NETOIN! Mais!



O blog está presente desde 27 de fevereiro de 2008.

E esta é a quinta alteração de template dele, datada de
18 de outubro de 2013.

(a última foi em 16 de dezembro de 2012)

- Grato pela visita -



Blog sobre assuntos diversos - Favor não copiar os textos do blog sem antes entrar em contato com o dono do mesmo.
NETOIN! Mais! 2008-2014